A briga entre os modelos de entrada tem sido cada vez melhor, as fabricantes finalmente estão conseguindo lançar aparelhos com preço menor, mas sem deixar uma dívida muito grande em relação ao desempenho. Quando pensamos nos melhores aparelhos baratos poucos nomes vem em mente, mas os smartphones mais expressivos tem sido o Lumia 520 e o Moto G – apesar de este estar uma categoria acima. No entanto, podemos colocar mais um integrante, o Xperia E1 aprendeu com os erros do passado e mostrou bom custo benefício.

O aparelho da Sony se destaca pelo foco em música, ele possui um alto-falante de 100 decibéis e tecnologias como xLOUD e Clear Phase. Apesar disso, os fones de ouvido que o acompanham não são lá muito bons. Para quem quer mostrar um smartphone bom para ouvir música, não pode esquecer de um item tão importante.

Especificações Técnicas

  • Processador: Snapdragon 200 Cortex-A7 dual-core de 1,2 GHz.
  • Memória RAM: 512 MB.
  • Tela: TFT de 4 polegadas com resolução de 480 x 800 pixels (~233 ppp – pixels por polegada).
  • Câmera: 3.15 megapixels com detecção de face e sorriso, HDR, estabilização de imagem e panorama. Sem flash. Filma em WVGA.
  • Câmera frontal: Não possui.
  • Bateria: 1700 mAh.
  • Conectividade: 3G, Wi-Fi 802.11 b/g/n, Wi-Fi Direct, Wi-Fi hotspot, GPS, Bluetooth 4.0 e entrada micro-USB 2.0.
  • GPU: Adreno 302.
  • Memória externa: microSD de até 32 GB.
  • Memória interna: 4 GB.
  • Dimensões: 118 x 62.4 x 12 mm.
  • Peso: 120 gramas.
  • Plataforma: Android 4.3 Jelly Bean, upgrade confirmado para o 4.4.2 KitKat.
  • Sensores: acelerômetro, compasso, proximidade.

Design e construção

Não podemos esperar um acabamento refinado para um smartphone tão barato quanto o Xperia E1. O aparelho conta com corpo de plástico e passa a sensação de ser frágil, principalmente porque é muito leve. Mas, na prática, o material acaba dando resistência ao aparelho. Ele é bem compacto, confortável para usar com apenas uma mão, nas bordas e na capinha traseira ele conta com uma textura áspera que ajuda a dar uma sensação melhor de firmeza.
Sony-Xperia-E1  (12)
Ele é um aparelho muito discreto, na parte da frente há apenas o alto falante e abaixo a logo da Sony. Um pequeno LED – que exibe notificações – aparece no canto esquerdo, porém na parte de baixo há um outro LED, ele é maior e só fica ativo ao abrir um aplicativo da Sony em tela cheia. Atrás ele exibe novamente a logo da Sony, uma marca discreta do "Xperia", o alto-falante de 100 decibéis e na parte superior central a sua câmera. Os botões de volume e liga/desliga estão na parte direita, na esquerda fica a entrada micro USB e em cima a entrada para o fone e um botão dedicado para abrir o player de música Walkman.

Tela

Sony-Xperia-E1  (4)
O Xperia E1 me decepcionou com sua tela. Não que ela seja ruim, no entanto aparelhos da Sony costumam apresentar telas com alto contraste e nitídez, por isso a expectativa. Justamente por ser um modelo de entrada, não é justo esperar muito de todos os aspectos do dispositivo. Ao assistir vídeos e navegar por imagens é perceptível cores menos vivas que o de costume. Outro detalhe é o ângulo de visão, se você quiser mostrar algo para os colegas com o smartphone, é melhor que seja um de cada vez.

Imagens do Aparelho

Câmera

Esse é o aspecto que mais deixa a desejar no aparelho. A câmera não possui flash, então esqueça tirar fotos a noite, elas ficam extremamente escuras e apresentam muito ruído. De dia as coisas ficam um pouco melhor, mas não espere muito. Foco fixo, resolução de 3,15 mega pixels e filmagem em WVGA (800×600) não trazem os melhores resultados, não há muito vívidez nas cores. Novamente, não dá para esperar muito da câmera de um aparelho nessa faixa de preço.

Bateria

O essencial para um smartphone, seja ele barato ou caro, é aguentar um dia inteiro de uso sem pedir tomada. O Xperia E1 cumpre a tarefa diária muito bem, mesmo quando colocado em uso mais intenso com o 3G ativo é navegação web por mais horas. Se a energia estiver acabando, o smartphone conta com o recurso Stamina, que desativa as funções supérfulas e reduz a frequência do processador, com isso você consegue ganhar algumas horas a mais até colocá-lo pra carregar.

Sistema

Não é segredo que eu prefiro o Android puro, sem modificações, mas existem alguns recursos positivos em determinadas personalizações, o importante aqui é adicionar funções positivas e que não tragam prejuízos para a performance do aparelho. O Xperia E1 vem com a Xperia UI que se mostrou competente.
Sony-Xperia-E1
Na barra de notificações há controles rápidos para as funções mais importantes como volume, bluetooth, Wi-Fi, brilho da tela e configurações. O organizador de aplicativos pode ser definido de diversas formas e não torna a experiência muito diferente do que já estamos acostumados.

Ele não traz muitos aplicativos pré-instalados, a maioria são soluções próprias da Sony como o app "Álbum" para a visualização das fotos ou o "Walkman" como player de música. Ainda assim, os aplicativos padrão do Google continuam no aparelho, ou seja, se preferir ainda pode navegar pelas suas fotos na "Galeria" tradicional.

Desempenho geral

O consumidor de smartphones low-end e mid-end estão cada vez mais críticos e exigentes no que diz respeito à performance do celular. O processador dual-core de 1.2 GHz do Xperia E1 consegue dar conta do recado para as tarefas comuns do dia a dia, como navegar na web, assistir vídeos, ouvir músicas, entre outros. Citando mais uma vez a camada de personalização da Sony, ela não "roubou" desempenho do dispositivo.

Mas, os 512 MB de memória RAM não são suficientes para rodar vários aplicativos simultaneamente ou navegar por muitas guias no navegador, a Sony decidiu manter a quantidade de RAM do modelo antecessor e ficou atrás nesse quesito. O desempenho é OK, mas poderia surpreender se houvesse números maiores aqui.

Fiquei surpreso e decepcionado com a quantidade de vezes que o aparelho reiniciou durante os testes, algumas das vezes em que ele desligou sozinha eu sequer estava usando. Por vezes, esse tipo de problema é solucionado realizando uma restauração no sistema, mas não adiantou. Pode ser que eu não tenha tido sorte com o aparelho que peguei, pesquisei por consumidores com o mesmo problema e encontrei poucos relatos.

De forma geral, o Xperia E1 atende as expectativas de desempenho para um smartphone da sua categoria.

Preços

A Sony recentemente anunciou um corte nos preços desse modelo.

  • R$ 399,00 – O modelo mais básico, suporte para apenas um chip SIM;
  • R$ 499,00 – O modelo com suporte para dois chips SIM;
  • R$ 549,00 – O modelo com Dual SIM com TV Digital.

Pontos Positivos

Desempenho, atende as expectativas de um aparelho com especificações mais básicas
Bateria, duração aceitável nos mais diversos tipos de uso
Preço, aparelho muito acessível

Pontos Negativos

Câmera, muito fraca em qualquer condição

Conclusão e Notas

Sony-Xperia-E1  (3)
Com um baixo custo e desempenho razoável, ele é capaz de agradar o público que não quer gastar muito com um celular, mas procura qualidade acima da média. Ressalvo as boas customizações adicionadas pela Xperia UI, que não incomodam quanto outras personalizações, principalmente em relação à velocidade. O Sony Xperia E1, junto com o Nokia Lumia 520, são as duas melhores opções para modelos de entrada, aí vai depender da preferência pelo sistema operacional. O aparelho concorre diretamente com o recém lançado Moto E, que ainda não pude testar, mas comparando pelas especificações tenho certeza de que a briga é boa entre eles.

Design e construção: 7
Bateria: 8
Tela: 7
Desempenho: 7
Sistema: 8
Câmera: 5
Custo-benefício: 8

Avaliação final: Nota 7 de 10.