Há tempos que um celular não me deixava tão animado quanto o Moto X me deixou. Desde o anúncio do celular e as primeiras impressões que saíram na imprensa internacional, fiquei babando pelo celular e pelas ideias que viam com ele. Quando fui convidado pro evento de lançamento e tive a oportunidade de ver, entender e testar um pouquinho o smartphone, achei ainda mais incrível.

Ele era exatamente aquilo que eu imagino como um bom smartphone. Comentei lá no review do Galaxy S4 que os aparelhos precisam de menos funções inúteis e que apenas aumentam o número de "poderes especiais" mas que no final não fazem diferença no uso corriqueiro, do dia a dia. O Moto X tem alguns truques, mas são truques que você vai adorar e o melhor, que você vai usar praticamente todos os dias.

É sem dúvida, o melhor Android de 2013 e irei detalhar a minha experiência com o Moto X durante o período de testes. É importante você esquecer as especificações técnicas aqui, o dispositivo é muito mais do que números.

Especificações Técnicas

  • Processador: Motorola X8 Mobile Computing System. Qualcomm MSM8960Pro Snapdragon Dual-core 1.7 GHz Krait + dois processadores dedicados para reconhecimento de voz e sensores + GPU Adreno 320.
  • Memória RAM: 2 GB.
  • Tela: AMOLED de 4.7 polegadas com resolução de 720 x 1280 pixels (~312 ppp – pixels por polegada).
  • Câmera: 10 megapixels com autofoco, LED flash, filma em FullHD 1080p.
  • Bateria: 2200 mAh.
  • Conectividade: 3G, 4G, Wi-Fi 802.11 a/b/g/n/ac, dual-band, DLNA, Wi-Fi hotspot, GPS, Bluetooth 4.0, NFC e entrada micro-USB 2.0
  • GPU: Adreno 320.
  • Memória externa: não possui.
  • Memória interna: 16/32 GB.
  • Dimensões: 129.3 x 65.3 x 10.4 mm.
  • Peso: 130 gramas.
  • Plataforma: Android 4.2.2 (Jelly Bean)
  • Sensores: acelerômetro, giroscópio, proximidade, bússola, barômetro, temperatura.

Design e construção

O design do Moto X é um ponto mais que positivo para o aparelho. O aparelho é bonito, elegante e certamente agrada ao público masculino e feminino. O dispositivo não é grande demais, nem pequeno demais. A pegada dele é muito confortável, ele tem a traseira levemente curvada para se encaixar melhor na sua mão. Os cantos da tela são arredondados e na parte da frente temos o alto falante, sensores de luminosidade e proximidade, além da câmera de 2 megapixels, na parte de baixo você vai reparar um pequeno furo, é um dos microfones dele.
Motorola-Moto-X (13)
A traseira do aparelho é de plástico, mas nem parece, ela tem uma textura agradável que faz termos a impressão de ser emborrachado, na primeira vez que o vi, pensei que era kevlar, o material que a Motorola usou no Razr i. Os botões físicos estão apenas na direita, aqui você vai encontrar o botão de liga/desliga, botões de volume e na esquerda a bandeja para inserção do cartão nano-SIM. Na parte superior temos a entrada para o fone de ouvido, bem no centro. Na parte de baixo, a entrada para micro-USB.

O bacana é que ele aproveita muito bem o tamanho da tela, quase não há borda e é surpreendente um celular com tela de 4.7 polegadas ter uma pegada tão boa. Certamente o design dele é um dos pontos mais positivos.

Tela

A primeira coisa que devemos falar sobre a tela do Moto X é a tecnologia usada: o AMOLED. A Motorola decidiu utilizar dela e não foi por acaso, o aparelho foi pensado em todos os aspectos possíveis para oferecer uma boa experiência. Todas as vezes que você tira o celular do bolso, ou mexe nele enquanto está em cima da mesa ou quando recebe uma notificação, ele exibe a hora e o ícone para desbloqueio/ícone do aplicativo em que recebeu a notificação. O resto fica preto. E a tecnologia AMOLED não acende a luz na parte preta da tela, ou seja, economiza bateria. Isso faz uma baita diferença.

Fora isso, você irá perceber que as cores são bem saturadas, eu particularmente gosto e me acostumo depois de algumas horas. Os mais atentos verão que o branco é bem amarelado, mas isso não deve incomodar, já que com o tempo acostuma. A resolução é ótima, as imagens apresentadas são bem nitídas. E vale lembrar que o aparelho é protegido pelo vidro Gorilla Glass, o que deve garantir uma resistência maior a quedas e arranhões, mas é bom você tomar cuidado com ele, o vidro resistente não faz milagres.
Motorola-Moto-X (12)
O brilho automático do celular funciona tão bem que eu nem percebo quando ele muda a luminosidade para se adaptar ao ambiente que estou. Definitivamente essa é uma boa opção para economizar bateria no dispositivo e garantir que você possa exergar tudo o que se passa com facilidade. Pode parecer besteira falar disso, mas celulares que não possuem uma rápida resposta a esse tipo de coisa, incomoda o usuário.

Ok, Google Now

Motorola-Moto-X (15)
Para este review decidi dedicar um tópico especialmente para falar sobre o recurso de reconhecimento e assistência de voz. O recurso é muito legal. O celular entende o que você fala e isso é simplesmente sensacional. Do futuro. Mas vamos lá falar da real utilidade disso tudo e como ele se comporta e se funciona bem.

Para começar a usá-lo, você precisa configurá-lo e repetir três vezes a frase "Ok, Google Now", dessa maneira o aparelho irá aprender a sua voz e o comando só sera ativado caso seja dito por você. Qualquer outra pessoa que tente falar isso para ele, ele irá ignorar. A parte bacana é que ele está prestando atenção em você o tempo todo. O celular não precisa estar com a tela ligada ou desbloqueada, você não precisa apertar nenhum botão. Seja qual for a condição você apenas diz "Ok, Google Now" e então uma tela com um ícone de microfone irá aparecer. Aqui você poderá dizer o que quer. Ele entende bem o que você diz? Sim, na maioria das vezes ele entende com perfeição. Dá pra fazer muitas coisas? Mais ou menos.

Apesar de ser um recurso muito legal, você ainda não tem muitas possibilidades com ele. Em inglês ele é um pouco mais completo, mas a versão em português entende frases como "previsão do tempo", "navegar para Avenida Paulista", "ligar para Fulano", "verificar correio de voz". Além disso, você pode fazer pesquisas no Google perguntando por exemplo "Quem é o presidente da Rússia?" ou então "Quanto é 1547 multiplicado por 1320". Todas as perguntas, incluindo a previsão do tempo, irão te levar a uma pesquisa do Google e esta não te retorna com voz, você precisa pegar o telefone e ler o que está escrito. Os comandos ainda não são muito "humanos", você não pode – ainda – conversar com o seu smartphone e desejar para ele um "bom dia".

Apesar disso o recurso me parece muito eficiente para motoristas, ele é capaz de ler mensagens de textos, atender chamadas e enviar mensagens de texto avisando que você está dirigindo, tudo isso apenas ouvindo o que você fala. Mas tudo isso só funciona no modo direção. O dia em que o Google Now aprender a falar português, o recurso ficará ainda mais interessante.

Além disso, ainda é muito estranho você falar "Ok, Google Now" publicamente. Mas isso mudará com o tempo.

Imagens do Aparelho

Câmera

A câmera dele pode ser considerada um dos pontos fracos, infelizmente. A Motorola não tem se mostrado boa com câmeras, ainda mais quando vemos aparelhos como o Lumia 1020, iPhone 5S e Galaxy S4 com câmeras assustadoramente poderosas. Apesar disso, o software foi bem trabalhado. Você pode usar o botão de volume para tirar fotos ou então apenas apertar em qualquer lugar da tela para capturar o momento. Não existe quase botão aparente na tela da câmera, apenas o botão que ativa o modo de gravação de vídeos e o outro para você escolher entre câmera frontal ou traseira, o que permite que você visualize muito bem o que irá registrar.

Para ver os comandos de configurações, basta arrastar o dedo no canto da tela e eles aparecerão. Aqui você poderá configurar coisas básicas como o flash, HDR, há um botão para dizer se você quer que a câmera foque exatamente onde seu dedo apertar, uma opção de gravação em slow motion, foto panorâmica, geolocalização, som ao tirar a foto (aquele barulhinho de clic, você pode ativar ou desativar) e por último um botão para ativar ou desativar o recurso de acesso rápido. E falando no acesso rápido, ele é uma mão na roda. Pegue o seu celular, desbloqueado ou não e então balance ele (como se estivesse abrindo uma parte com maçaneta redonda), pronto, sua câmera está pronta para ser usada.

Mas em relação a qualidade das imagens: nota zero. Elas são muito ruins, em quaisquer condições de iluminação, esteja claro ou escuro. Faltam cores. Até a câmera do Razr D3 se sai melhor.

Bateria

A bateria se comportou como esperado. Os últimos aparelhos da Motorola mandaram bem na autonomia e não foi muito diferente com o Moto X. Ela não vai aguentar dois dias seguidos sem carregar, a não ser que você não use o aparelho direito. Mas com um uso de moderado para intenso, com a maior parte do tempo conectado ao Wi-Fi e uma boa parcela no 3G, consultando e-mails, redes sociais, navegando pela internet e escutando música, você conseguirá fazer com que ele chegue até o final do dia tranquilamente, com mais ou menos 10% de carga restante. Nos dias em que usei o aparelho com mais moderação e evitei o uso do 3G a bateria dele chegou no final do dia com 35%.

Infelizmente não pude testar o comportamento do aparelho com o 4G ligado, mas baseando no que li em outros lugares, o consumo não é muito diferente do 3G. Se você pretende usar o smartphone com a conexão LTE, pode ficar tranquilo que ele também vai aguentar. Existe um recurso de economia de energia que pode ser habilitado e funciona depois que a bateria chega a 15%, ela limita o uso da conexão móvel e costuma ajudar a segurar o que sobrou.

Sistema

Gosto do Android do jeito que ele é. O Moto X tem o Android do jeito que ele é e com alguns incrementos que me farão falta quando eu voltar pro Nexus 4. O recurso de ligar a tela quando tiramos o aparelho do bolso é uma mão na roda, você se acostuma tanto que quando pega outro celular, espera ele ligar sozinho. Além desse aspecto, o design do sistema não tem alteração nenhuma.

Tem toda a coisa por trás do Google Now e reconhecimento de voz que nós já comentamos acima, além da personalização do software da câmera e das notificações inteligentes. Mas o Moto X ainda guarda alguns truques para você. Todos eles estão concentrados no ID do dispositivo Motorola, você poderá encontrar essa opção nas opções do Android. A partir daqui você pode configurar o Motorola Connect, que nada mais é uma extensão que você instala no Google Chrome e então pode responder mensagens de texto direto do navegador, sem precisar pegar o celular. Além disso você recebe as notificações de mensagens e também de ligações, podendo apenas recusá-las a partir do computador. O interessante que, ao contrário da maioria dos aplicativos que oferecem algo parecido, o Motorola Connect não exige que o aparelho e computador estejam na mesma conexão Wi-Fi, basta os dois estarem conectados à internet, seja Wi-Fi, 3G, 4G... Além disso tem o Lost Phone Web Portal, um site onde você poderá localizar o seu dispositivo perdido, é interessante ver essas opções já embutidas nos aparelhos, sem precisar de apps de terceiros.

Ah, vale citar o aplicativo Migração Motorola. Você instala ele no seu antigo dispositivo (que precisa ser Android 2.2 ou superior) e então pode passar todas as informações, desde fotos até registros de SMS e ligações para o seu Moto X, num instante tá tudo lá.

Desempenho geral

Você pode até duvidar do desempenho do processador dual-core do Moto X, mas o aparelho não faz feio para nenhum concorrente topo de linha. Isto é, o Moto X é divulgado como um aparelho mid-range, olha o tanto de recursos que ele oferece e o desempenho agrada qualquer um. A GPU do dispositivo é igual a do Galaxy S4, ou seja, espere o mesmo desempenho em jogos. O processador dual-core dá conta das transições entre aplicativos e tarefas pesadas.
Motorola-Moto-X (8)
Decidi por não fazer nenhum teste de benchmark, sabemos que não podemos confiar muito nesses números. A experiênca de velocidade é agradável e não há o que reclamar. O aparelho não chegou a travar sequer uma vez, em nenhum aplicativo.

Preço

Tivemos uma boa notícia quando o aparelho começou a ser vendido. Ele havia sido anunciado por R$ 1.799,00, mas a Motorola deve ter ouvido os consumidores e colocou ele por R$ 1.499,00, isto quer dizer que se você pagar à vista no boleto conseguirá chegar a preços interessantes de R$ 1.320,00. Nenhum aparelho nessa faixa de preço é tão bom quanto o Moto X. Ele é superior a qualquer mid-range e chega batendo de frente em muitos top de linha.

Pontos Positivos

Assistente de voz, recurso bem bacana
Design, possui ótima pegada, não é muito grande e é muito bonito
Desempenho, aparelho muito veloz, bate de frente com qualquer outro
Sistema, puro como o Android deve ser

Pontos Negativos

Câmera, muito fraca

Conclusão e Notas

Nas últimas análises que escrevi, vinha recomendado fortemente o Nexus 4, mas este é um aparelho que já está ficando um pouco velho. Além disso, compensa pagar um pouco mais por um aparelho que oferecerá uma experiência muito mais agradável. Se eu tivesse que escolher um aparelho hoje, o Moto X seria o escolhido, sem pensar duas vezes. O único pecado dele é a câmera, mas hoje não a uso com tanta frequência.

O Moto X é muito mais que recursos fúteis que estão lá para fazer número. A equipe Motorola + Google se concentrou em fornecer um aparelho completo para o consumidor. O Galaxy S4 até então tinha sido o melhor Android que eu usei em 2013, mas agora refaço meu comentário e o Moto X foi o melhor celular que usei neste ano. Não é o melhor hardware, mas é a melhor experiência de uso.

Câmera = Nota 7
Bateria = Nota 9
Velocidade = Nota 10
Sistema = Nota 10
Preço = Nota 9
Avaliação = Nota 9 de 10.