Review Moto G — o smartphone de baixo custo que impressiona

Moto G 3 Review Moto G — o smartphone de baixo custo que impressiona
O Moto G é o segundo aparelho da Motorola que possui as características do Google e os dispositivos lançados até agora me causaram boas impressões. O Moto X trouxe algumas novidades e recursos que eu gostei muito e pelo conjunto todo, foi um dos melhores Androids do ano, senão o melhor, como eu comentei na análise.

As primeiras impressões que tive do Moto G foram ótimas e ele vem aí para ser a escolha certa quando falamos de um aparelho com um custo menor. O preço dele chama muita atenção pela qualidade oferecida, a Motorola promete um smartphone acessível sem comprometer a experiência de uso. É interessante ver que o mercado de smartphones de baixo custo no Brasil tem evoluído e certamente veremos aparelhos de qualidade por preços menores. Testei o aparelho por pouco mais de uma semana e posso adiantar que ele superou as expectativas.

Especificações Técnicas

  • Processador: Snapdragon 400 Cortex-A7 quad-core de 1,2 GHz.
  • Memória RAM: 1 GB.
  • Tela: LCD de 4.5 polegadas com resolução de 720 x 1280 pixels (~326 ppp – pixels por polegada).
  • Câmera: 5 megapixels com autofoco, LED flash, filma em HD 720p.
  • Câmera frontal: 1.3 megapixel
  • Bateria: 2070 mAh.
  • Conectividade: 3G, Wi-Fi 802.11 a/b/g/n/ac, GPS, Bluetooth 4.0 e entrada micro-USB 2.0
  • GPU: Adreno 305.
  • Memória externa: não possui.
  • Memória interna: 8/16 GB.
  • Dimensões: 129.9 x 65.9 x 11.6 mm.
  • Peso: 143 gramas.
  • Plataforma: Android 4.3 (Jelly Bean) — upgrade para Android 4.4 (KitKat) garantido.
  • Sensores: acelerômetro, bússola, proximidade.

Design e construção

O design do Moto G é bem parecido com o Moto X, porém com um acabamento mais barato. Ele possui a traseira levemente curvada, dessa maneira o aparelho encaixa bem na mão e fica bem confortável de usar. A tampa traseira dele é completamente lisa e não tem nenhuma textura, isso significa que você verá muitas marcas de dedos conforme o uso. A capinha de trás poderá ser removida e trocada por capinhas de outras cores, serão 16 opções de cores diferentes, o consumidor tem a opção de comprar essas cases em um pacote com três ou individualmente. Elas são chamadas de Moto Shell e existem algumas delas que são cases de proteção, elas adicionam uma parte emborrachada em torno do aparelho, outras seguem o estilo “Smart Cover” que cobre a parte da tela do aparelho e quando você abre a tela acende. Apesar de podermos tirar a tampa traseira bateria não é removível e não há entrada para cartões microSD, infelizmente. Ah, é muito difícil tirar essa capinha. Muito mesmo. Não é difícil machucar os dedos ao tentar abrir a tampa traseira e demora para pegar o jeito da coisa.
Moto G 1 Review Moto G — o smartphone de baixo custo que impressiona
Os cantos da tela são arredondados e temos pouca borda nos lados. A parte de baixo do aparelho tem um grande espaço que não é ocupado pela tela e ali não ficam botões capacitivos, já que os botões de controle do Android ficam na própria tela, assim como funciona nos Nexus e no Moto X. Infelizmente o dispositivo não conta com os truques do Moto X, como o Active Display, isso quer dizer que quando você pegar o seu celular, ele não vai acender a tela sozinho e te mostrar a hora. Significa também que temos uma luz de LED que fica pulsando quando há alguma notificação.

Os botões físicos do aparelho estão apenas na parte direita, aqui você vai encontrar o botão de liga/desliga, botões de volume. Na parte superior temos a entrada para o fone de ouvido. Na parte de baixo, a entrada para micro-USB.

Tela

Moto G 2 Review Moto G — o smartphone de baixo custo que impressiona
Na categoria do Moto G, não há nenhum outro aparelho que ofereça uma tela com qualidade igual ou superior a ele. Ela é grande o suficiente, são 4.5 polegadas e pelo fato do design ter a traseira curvada e pouquíssima borda na lateral, é fácil de usá-lo com uma mão só. A definição também é excelente, as cores são fiéis e não muito saturadas graças ao LCD. O aparelho conta com a proteção do Gorilla Glass 3 também. Se você é acostumado a usar o brilho automático, ele consegue trocar a intensidade de iluminação da tela bem rápido, mas algumas vezes em ambientes internos com luz forte senti que a tela poderia ficar com mais brilho, o jeito é ajustar manualmente em alguns casos.

Imagens do Aparelho

Câmera

A câmera do Moto G é apenas OK. As fotos são bem ruins quando não há boas condições de iluminação, e quando estamos num ambiente claro o suficiente as fotos ficam apenas normais, sem muito detalhamento e com um pouco de ruído. São apenas 5 megapixels e não dá para esperar muito da câmera de um aparelho nessa faixa de preço.

O software é o mesmo do Moto X, você pode tocar em qualquer parte da tela e pronto, a foto será tirada. Para acessar os ajustes e configurações, basta arrastar o dedo no canto da tela e eles aparecerão. A câmera possui HDR automático, isso quer dizer que, se ele achar necessário, irá ativar o recurso para ter fotos melhores.

Bateria

Outro aparelho da Motorola que não decepciona na bateria. O aparelho consegue aguentar um dia inteiro de uso tranquilamente e se você não usar o 3G com frequência, é capaz de ficar dois dias inteiros longe da tomada. Em um dia de uso com a maior parte do tempo conectado no Wi-Fi e uma boa parcela no 3G, consultando e-mails, redes sociais, navegando pela internet e escutando música, ele é capaz de chegar no final do dia com 30% de bateria sobrando. Durante o período de testes houve apenas um dia que a bateria dele chegou no final do dia com 5%, quando assisti mais vídeos no YouTube do que o normal e usei o 3G na maior parte do tempo. Não me lembro de ter testado um celular com uma bateria tão boa quanto a dele. Vale ressaltar que para quem usa dois chips, essa autonomia deve ser um pouco menor.

Sistema

É o Android puro num aparelho que não é o Nexus. O Moto G não possui muitos truques, apenas algumas modificações no software da câmera como apontei e alguns aplicativos embarcados, como o Motorola Assist que automatiza algumas tarefas para você, o QuickOffice, Migração Motorola, Moto Care e o BR Apps que possui uma lista de aplicativos nacionais, fora isso, ele é o Android puro e não há muito o que comentar.

Desempenho geral

Moto G 6 Review Moto G — o smartphone de baixo custo que impressiona
Chegamos na parte mais importante do review, o desempenho do aparelho. O aparelho é bem rápido, a maioria dos aplicativos são abertos com velocidade, o multitarefa funciona muito bem, porém alguns detalhes deixam a desejar. Muitas vezes ao abrir o Facebook é necessário esperar alguns segundos (de 1 a 3 segundos) para que o aplicativo possa ser usado, o mesmo acontece com o Chrome, porém leva menos tempo. Ele não possui o melhor desempenho em jogos, é normal os carregamentos dos games demorarem e o aparelho parecer lento durante um tempo de jogatina. Novamente optei por não fazer testes de benchmark, apesar de saber que o Moto G tirou ótimas pontuações, ele não fica muito atrás do Galaxy S4 nesse tipo de teste. Ou seja: não dá para notar que o smartphone que você está usando custa pouco.

Preço

Falei o tempo inteiro aqui que o aparelho é mid-end de baixo custo mas não cheguei a citar o preço, mas você provavelmente já deve saber quanto o aparelho custa. O Moto G possui várias opções e ele vai de R$ 649 até R$ 999.

R$ 649,00 – O modelo mais básico, vem com 8GB de memória interna e suporte para apenas um chip SIM;
R$ 699,00 – O modelo básico, de 8GB de memória interna e suporte para dois chips SIM;
R$ 799,00 – O modelo com 16GB de memória interna, suporte para dois chips SIM e com quatro capinhas coloridas;
R$ 999,00 – O modelo chamado de Moto G Music Edition, vem com 16GB de memória interna, suporte para dois chips SIM e com fone de ouvido Tracks Air da SOL Republic (o fone custa US$ 200,00 lá nos EUA, ou seja, o preço por aqui ainda compensa e muito).

Como de costume, para quem quer pagar à vista, quase todas as lojas oferecem 10% de desconto, ou seja, o Moto G pode sair ainda mais barato, ainda mais se surgir uma promoção quando você estiver afim de comprá-lo.

Pontos Positivos

Design, o aparelho é bonito e proporciona uma boa experiência no uso
Ótimo custo benefício
Tela, muito nítida
Bateria, durou mais do que o esperado
Desempenho, não deixa a desejar

Pontos Negativos

Bateria não removível e falta para cartão microSD

Conclusão e Notas

O Moto G é o smartphone com melhor custo benefício que temos hoje, sem dúvida. Por quê? Porque o aparelho conseguiu unir o melhor de dois mundos: um hardware que dá conta do recado mesmo em tarefas mais pesadas e software sem poluição, além do preço extremamente atraente. Um aparelho nessa faixa de preço não costuma ter tantos pontos positivos e benefícios. É bom ver que a Motorola está caminhando para oferecer uma ótima experiência para o usuário sem atacar o bolso dele e espero as outras fabricantes correndo atrás para oferecem uma experiência tão positiva quanto a do Moto G.

Se nos últimos tempos eu vinha recomendando fortemente o Nexus 4 para quem me perguntasse sobre um bom aparelho Android que não custasse tanto, agora a minha recomendação fica com o Moto G.

Câmera = Nota 7
Bateria = Nota 9
Velocidade = Nota 9
Sistema = Nota 9
Preço = Nota 10

Avaliação = Nota 9 de 10.

Mais sobre:  , , , , ,

Autor: 03-12-2013 Em Reviews
Ciências e Tecnologia