O LG G3 foi um dos primeiros smartphones a se equipar com uma tela de resolução absurda. Chamada de Quad HD, a resolução representa quatro vezes o número de pixels que temos numa tela HD (720p), ou seja, são 1440 x 2560 pixels em um display de 5.5 polegadas. Há quem diga que esses números altíssimos são desnecessários, estão aí para comer bateria – o que não deixa de ser verdade – no entanto, a busca pelas especificações cada vez mais robustas é uma evolução natural e positiva para o mercado. Esse é apenas um entre os pilares em que o LG G3 se sustenta, passei alguns dias com o aparelho e aqui deixo a minha experiência de uso com o smartphone.

Design e Construção

O LG G3 é o smartphone mais caro da LG e é tratado como um aparelho premium. A elegância é inegável, um aparelho muito bonito de se olhar. Apesar disso, o material utilizado em sua construção dá a sensação de ser "pobre", digo isso porque sempre espero mais do acabamento de um celular que ultrapassa a marca dos R$ 2.000. Segundo a companhia, é utilizado policarbonato metalizado, mas na real parece que é só policarbonato mesmo. Na lateral ele possui uma pequena camada de metal, que contribui um pouco nesse aspecto, mas não melhora o quadro geral. O fato de ser um celular grandão faz com que seja fácil derrubá-lo, mesmo com a parte de trás levemente arredondada, o material é escorregadio.
LG-G3 (4)
Os botões power e de volume estão num lugar pouco convencional: na traseira, logo abaixo da câmera. A sensação de estranheza no início é natural, mas logo me acostumei com a novidade. Apesar de estarem ali, você provavelmente não irá utilizá-lo com frequência. Eu substitui os botões físicos pelo Knock Code, que permite acordar o celular com uma combinação de toques na tela – do qual falarei com mais profundidade adiante. A entrada microUSB e a entrada para fone de ouvido ficam na parte de baixo.

É na parte da frente que estão as maiores qualidades do design do G3, ele é bem minimalista e sua bela tela ocupa praticamente todo o espaço.

Tela

A tela IPS LCD do G3 é de altíssima qualidade, a diferença para telas Full HD não é gritante, mas com atenção é possível reparar na superioridade do Quad HD. Porém, uma boa tela não é feita apenas de pixels, o display do dispositivo entrega uma experiência positiva para as cores, saturação e brilho. Andar com o celular sob sol forte não traz problemas, por exemplo.

Pré-carregado com o celular veio um vídeo numa resolução adequada para sua tela, e é justamente aqui que pude reparar na superioridade. Nos aplicativos as letras são muito nítidas, apesar de nada especial acontecer quando falamos da resolução em si. Como dito anteriormente, as cores e saturação fazem a diferença e torna a navegação agradável.
LG-G3 (6)
Não existem dúvidas: esse é o melhor display em um smartphone.

Vale notar que o som reproduzido pelo LG G3 também é muito bom, casando perfeitamente com a tela.

Câmera

A câmera do LG G3 trouxe uma novidade interessante: o foco a laser. Juntando isso à estabilização óptica de imagem você tem uma câmera de boa qualidade, que consegue capturar imagens ok mesmo a noite, sem muito ruído. Ela é rápida, capaz de tirar fotos com alto nível de detalhes e cores bem equilibradas. É uma câmera melhor do que a maioria, mas não é nada demais como nos aparelhos da linha Lumia. Atende bem ao usuário comum.

  • Foto-LG-L3 (1)
  • Foto-LG-L3 (2)
  • Foto-LG-L3 (3)
  • Foto-LG-L3 (4)
  • Foto-LG-L3 (5)

 

Bateria

Uma tela Quad HD significa maior consumo de bateria. Para equilibrar, a LG colocou uma grande bateria de 2.940 mAh e foi justamente o que aconteceu: equilibrou. O aparelho não tem autonomia surpreendente, mas também não fica muito longe daquilo que estamos acostumados. Saia de casa com seu smartphone em 100% de carga e lá pelas 18 horas ele estará em 35%. Isto é, num dia de uso comum, alternando entre o Wi-Fi e 3G, navegando, lendo emails, consultando as redes sociais. Se você abusar um pouco mais dele, o mesmo nível de carga será alcançado às 16 horas.

Experiência de uso e Sistema

A LG, assim como a maioria das fabricantes que utilizam o Android, possui uma camada de personalização. O Android é o 4.4.2 KitKat, mas a cara é outra. Apesar de preferir a versão pura, as modificações feitas pela companhia não são tão ruins assim, a UI possui design minimalista e segue a tendência flat. Quando ligamos o aparelho pela primeira vez e passamos pelas etapas de configuração, ele pede para selecionarmos as opções do botões de opções do Android que serão exibidos, nesse passo você pode alterar a ordem deles e optar por uma versão com os três botões tradicionais ou com um quarto botão, que ativa rapidamente o modo de tela dividida.

A ideia por trás da tela dividida é bem esperta, dessa forma você pode consultar dois aplicativos de uma só vez. Acontece que ela é limitada, apenas alguns aplicativos estão disponíveis. Além disso, compartilhar a visão de dois apps simultaneamente em uma tela de 5.5 polegadas não faz muito sentido para mim.

O launcher é bem organizado, ao puxar a tela inicial da esquerda para a direita nos deparamos com uma tela que se divide entre o "LG Health", que conta os seus passos, as calorias queimadas e a distância percorria, e o "LG Smart Tips", que traz dicas de uso para o smartphone. Procurei pelas configurações, mas não encontrei nenhuma maneira de alterar o que é exibido nessa tela.

O centro de notificações é onde podemos perceber as adições da LG. Na parte superior existe um menu com as configurações rápidas, para ativar ou desativar o Wi-Fi, 3G, rotação da tela, entre outros. Achei curioso que esse menu desliza, ou seja, já diversas opções sem ocupar muito espaço da tela. No entanto, abaixo podemos definir o nível do brilho da tela e o volume do aparelho. Adicionando os três itens, fica pouco mais da metade disponível para as notificações.

  • LG-G3 (9)
  • LG-G3 (8)
  • LG-G3 (7)
  • LG-G3 (6)
  • LG-G3 (5)
  • LG-G3 (4)
  • LG-G3 (3)
  • LG-G3 (2)
  • LG-G3 (1)

 

A melhor adição de software da LG é o Knock Code. Ele dispensa o botão de ligar e desligar o aparelho, você configura uma sequência de quatro toques na tela e então ao reproduzi-las, mesmo com o celular apagado, você o liga com a tela já desbloqueada. Para fazer o celular "dormir", basta dar dois toques em qualquer ponto vazio da tela inicial. Ficou até difícil se acostumar ao voltar para o meu smartphone de uso diário.

Apesar dos defeitos, dá para lidar tranquilamente com as modificações impostas pela LG. Não notei nenhuma perda no desempenho do smartphone. Para um topo de linha, ele atende as expectativas de desempenho tranquilamente e bate de frente com os seus concorrentes.

Especificações Técnicas

  • Processador: Qualcomm Snapdragon 801 Quad-core 2.5 GHz Krait 400;
  • Memória RAM: 2 GB;
  • Tela: True HD-IPS + LCD de 5.5 polegadas com resolução de 1440 x 2560 pixels (~534 ppp – pixels por polegada);
  • Câmera: 13 megapixels, filma em 4K (autofoco a laser);
  • Câmera frontal: 2.1 megapixels, filma em 1080p;
  • Bateria: 2.940 mAh;
  • Conectividade: 4G, Wi-Fi 802.11ac, GPS, NFC, Bluetooth 4.0 e USB 2.0.;
  • GPU: Adreno 330;
  • Memória externa: suporte micro-SD de até 128GB;
  • Memória interna: 16 GB;
  • Dimensões: 146.3 x 74.6 x 8.9 mm;
  • Peso: 149 gramas;
  • Plataforma: Android 4.4.2 Kit Kat;
  • Sensores: acelerômetro, giroscópio, proximidade, bússola e infravermelho.

 

Design e Construção: 8

Bateria: 8

Tela: 10

Desempenho: 9

Sistema: 8

Câmera: 9

Custo-Benefício: 8

Geral: 8,5

Preço

No lançamento (em julho), o LG G3 custava R$ 2.299,00, mas os preços caíram desde então. É possível encontrar o aparelho por cerca de R$ 1.600 a vista no boleto. Na maioria das lojas de varejo o preço tradicional do celular é R$ 1.899.

Um adendo interessante: na caixa do LG G3 está incluído um carregador sem fio.

Pontos Positivos

  • Tela, qualidade sensacional;
  • Desempenho, suficiente para um aparelho topo de linha;
  • Câmera, com foco super rápido;

Pontos Negativos

  • Construção, plástico não agrada por ser um aparelho caro

Conclusão

Recentemente a LG ganhou um grande concorrente, o Moto Maxx. Devemos levar em consideração que há uns bons meses de diferença entre o lançamento de um e de outro e uma lacuna nos preços. Atualmente, o LG G3 se apresenta como um smartphone mais barato. Tendo isso em vista, ele continua sendo o topo de linha da fabricante e vai atender as expectativas de quem procura um aparelho com alto desempenho com uma tela incrível, com o preço atual é um bom custo benefício. O conjunto do LG G3 é bem equilibrado e podemos dizer que está entre os melhores smartphones do ano. Uma das poucas ressalvas é sobre sua construção, o plástico com a textura diferente dá um impressão bacana, mas apenas para os olhos.