A ASUS é conhecida pelos seus notebooks e placas-mãe e agora quer fazer seu nome entre os smartphones. A estreia no Brasil vem com o Zenfone 5, anunciado na CES 2014. Apesar da demora para desembarcar no nosso país, o dispositivo veio com um objetivo ambicioso: conquistar o consumidor que procura por um celular que entrega qualidade a um preço acessível. O grande concorrente dele é o Moto G, já consolidado. O aparelho consegue bater de frente com seu adversário, apesar de alguns deslizes.

Especificações Técnicas

  • Processador: Intel Atom dual-core de 1,2 GHz (8 GB) ou 1,6 GHz (8 GB ou 16 GB);
  • Memória RAM: 2 GB;
  • Tela: IPS LCD de 5 polegadas com resolução de 720 x 1280 pixels (~294 ppp – pixels por polegada);
  • Câmera: 8 megapixels com autofoco, LED flash, filma em Full HD 1080p;
  • Câmera frontal: 2 megapixels;
  • Bateria: 2050 mAh;
  • Conectividade: 3G, Wi-Fi 802.11 a/b/g/n/ac, GPS, Bluetooth 4.0 e entrada micro-USB 2.0;
  • GPU: PowerVR SGX 544MP2;
  • Memória externa: suporte a cartão microSD de até 64 GB;
  • Memória interna: 8/16 GB;
  • Dimensões: 148.2 x 72.8 x 10.3 mm;
  • Peso: 145 gramas;
  • Plataforma: Android 4.4.2 (KitKat);
  • Sensores: acelerômetro, bússola, proximidade.

Design e construção

O design do Zenfone 5 é um dos seus diferenciais, ele é muito elegante mas peca por ser grande demais para um aparelho com tela de 5 polegadas. Na parte frontal ele possui um detalhe metálico com linhas concêntricas que lhe empresta um ar de elegância, logo acima estão os botões capacitivos de controle do Android, que possuem um defeito: não há iluminação, logo, se você estiver utilizando o celular no escuro terá que adivinhar onde cada função fica.

A traseira do celular é de plástico, mas parece ser bem resistente. Há uma leve curvatura que permite o encaixe mais confortável na mão, as tampas podem ser removidas e trocadas por outras cores. Na parte de dentro estão as entradas para o cartão microSD e os dois chips SIM, no entanto, a bateria não é removível.
Asus-Zenfone-5-Capa (1)
Os botões físicos do aparelho estão apenas na parte direita, aqui você vai encontrar o botão de liga/desliga, botões de volume. Na parte superior temos a entrada para o fone de ouvido. Na parte de baixo, a entrada para micro-USB que curiosamente está invertida.

Tela

Já virou regra: smartphones possuem telas grandes. E o display do Zenfone 5 chama a atenção, com cores muito vibrantes e imagens nítidas, apesar da resolução não ser FullHD. O ângulo de visão é muito bom e não há dificuldades ao ver o conteúdo apresentado na tela sob o sol. Para tornar o celular mais resistente, a ASUS utiliza o vidro Gorilla Glass 3 para protegê-la de arranhões e danos. É uma das melhores telas que já vi em aparelhos nessa faixa de preço e eu diria que está acima da média. As cinco polegadas parecem ser o tamanho ideal para consumir conteúdo, incluindo vídeos, visualização de fotos e leituras de textos longos. Falando em leitura, o smartphone possui um "Modo Leitura", que exibe uma imagem mais amarelada e cansa menos a visão, adição bem pensada e útil, que pode ser ativada de forma fácil no menu de configurações rápidas, comentarei mais abaixo sobre ele.

Imagens do Aparelho

Câmera

A câmera do Zenfone 5 tem um nome especial, a companhia fez questão de investir no marketing do chamado "PixelMaster". Segundo eles, ela é capaz de tirar fotos em condições adversas de iluminação e capturar imagens de boa qualidade inclusive em ambientes extremamente escuros. É claro que isso criou uma grande expectativa, mas a verdade é que a câmera do dispositivo é razoável, capaz de tirar boas fotos em lugares claros, mas não surpreende quando falta luz. Em alguns casos, ao ativar a função que auxilia a captura das fotos em lugares escuros, ela estourou pontos onde havia alguma luz, mesmo que pouca. As fotos por vezes ficam um pouco artificiais.

A câmera do Zenfone 5 é composta por um sensor de 8 megapixels, um conjunto óptico formado por cinco elementos e uma abertura de f/2,0. Boas especificações e uma boa câmera, mas ficou a sensação de que ela deveria ser melhor.

Bateria

Para aqueles que costumam abusar do celular durante o dia, a bateria do Zenfone 5 não dá conta do recado. Em um dia utilizando o 3G pela maior parte do tempo, ouvindo música, muita leitura e consultando email e redes sociais com frequência, a bateria já estava fraca perto das 19h. Se você costuma maneirar o uso do seu aparelho celular, talvez esse não seja um problema já que em dias com uso moderado, ele chegou até o final da noite com pouca carga restante. É difícil encontrar um consumidor que não se importe com a autonomia de um smartphone e a ASUS parece não ter dado atenção o suficiente para esse ponto, apesar de ter incluído um modo de economia de bateria, que não pareceu fazer muito efeito. Existe, inclusive, um modo de economia "extremo", que desabilita todas as conexões quando a tela do celular apaga, mas não é nada prático. Fica a esperança de que este defeito possa ser corrigido através do software, em atualizações.

Sistema

O Android do Zenfone 5 vem com uma camada de personalização chamada ZenUI. A interface segue o padrão de design adotado nos últimos meses pela maioria das empresas, com ícones coloridos e minimalistas. A alteração no visual é significativa, mas para aqueles que estão habituados com o Android, não devem sentir muita diferença, poucas coisas mudaram de lugar em relação à versão original do sistema. Algumas adições são interessantes, como a barra de notificações que é capaz de exibir um menu de configurações rápidas, para ajustar o brilho, desativar ou ativar o 3G, Wi-Fi, Bluetooth, entre outros recursos. Os botões que aparecem nesse menu podem ser escolhidos.

Nenhum guia é exibido para mostrar como alguns dos recursos funcionam e apanhei um pouco até aprender como esse menu de configurações rápida funcionava. Ao deslizar sobre barra de notificações em cima dos indicadores de hora, bateria, sinal do celular, esse menu rápido era exibido. Se eu quisesse apenas consultar minhas notificações, teria que passar o dedo na lado esquerdo da barra.

O aparelho não perdeu desempenho com a camada de customização, mas aqui vão alguns pontos fracos. Alguns aplicativos pré-instalados são desnecessários e repetem funções já incluídas na versão pura do Android. O navegador, a galeria e o app What's Next são alguns exemplos. Este último funciona de forma bem parecida com o Google Now, exibindo informações obre o que está por vir na sua agenda. Alguns outros aplicativos são completamente inúteis, como o app Espelho.

Apesar disso, o app Gerenciador de Arquivos e o Slendid, que permite controlar a temperatura de cor da tela, são bem vindos. Outra adição positiva é o pacote ZenLink, que faz a conexão do smaetphone com outros dispositivos. Um dos usos interessantes é o controle do dispositivo através do PC, ou seja, você pode responder mensagens do WhatsApp ou até mesmo jogar, a partir do teclado e mouse do sue computador. Fazer o inverso também é possível, utilizando seu celular como um controle remoto. Outra possibilidade é a transferência de arquivos através da rede Wi-Fi.

Quando recebi o aparelho para testar, ele estava rodando a versão 4.3 Jelly Bean do Android, porém a atualização para o KitKat já chegou. No dia do lançamento do aparelho, a ASUS não tinha dado certeza sobre o update para a versão recém lançada do Android, afirmando que não queria afetar o desempenho do aparelho. Felizmente, a companhia notificou hoje que toda a linha Zenfone receberá o Android 5.0 Lollipop no 1º semestre de 2015.

Desempenho geral

Já não é mais surpresa que, para oferecer um bom desempenho, o smartphone não precisa ter as melhores especificações do mercado. Assim como o Moto G e outros aparelhos mid-end, o Zenfone 5 mostra-se muito rápido e eficiente. Os 2 GB de memória RAM auxiliam no multitarefa, principalmente na troca entre aplicativos mais pesados. O processador Intel x86 pode preocupar alguns consumidores, já que o Razr I apresentou alguns problemas de compatibilidade na época que foi lançado. No entanto, essa falha não existe mais, todos os aplicativos e jogos rodam muito bem.

Preço

  • R$ 599,00 – Modelo mais básico, com processador de 1,2 GHz e 8GB de memória interna;
  • R$ 649,00 – Modelo intermediário, com processador de 1,6 GHz e 8GB de memória interna;
  • R$ 699,00 – Modelo mais completo, com processador de 1,6 GHz e 16GB de memória interna.

Todas as versões possuem suporte para dois chips.

Pontos Positivos

Design, aparelho elegante
Tela, nítida e com cores vivas
Desempenho, não deixa a desejar

Pontos Negativos

Bateria, não dá conta de um dia intensivo de uso

Conclusão e Notas

Asus-Zenfone-5-Capa (2)
Esse é, sem dúvidas, o primeiro concorrente real do Moto G. No geral, ele entrega uma experiência bem semelhante, com um bom desempenho e tela bonita. O destaque fica para a elegância do aparelho e para o preço, o Zenfone 5 é ligeiramente mais barato do que o modelo da Motorola. O dispositivo falha na bateria e em alguns excessos da personalização do sistema. A câmera deve atender aqueles que procuram um aparelho intermediário, mas devido a todo o marketing feito em torno dela, penso que deveria entregar mais qualidade. O saldo é positivo, o mercado brasileiro precisava de alguém nesse espaço de celulares mid-end que pudesse acirrar a competição. A resposta para a pergunta "Estou procurando por um bom smartphone e posso pagar até R$ 700" pode ter mudado.

  • Design e construção: 8
  • Bateria: 7
  • Tela: 8
  • Desempenho: 9
  • Sistema: 8
  • Câmera: 8
  • Custo-benefício: 10

Avaliação final: Nota 8,5 de 10.