Ontem a Motorola anunciou o Moto G, versão mais simples do Moto X. O anúncio mundial foi feito por Dennis Woodside, CEO da Motorola Mobility, durante um evento realizado na cidade de São Paulo. O novo aparelho é muito parecido com o seu irmão mais velho, o Moto X, é o segundo smartphone da companhia que tem as características do Google. O aparelho é uma grande aposta no mercado de smartphones mid-end, porém o preço dele surpreendeu, dada a qualidade do dispositivo.

O aparelho possui tela LCD de 4,5 polegadas com resolução de 1280 x 720 pixels, processador Snapdragon 400 quad-core de 1,2 GHz, 1 GB de memória RAM, GPu Adreno 305, câmera de 5 megapixels com flash LED, câmera frontal de 1.3 megapixels, rádio FM, bateria de 2.070 mAh e modelos que possuem suporte para dois chips. Ele roda Android 4.3 Jelly Bean, mas uma das primeiras afirmações feitas durante a apresentação foi a promessa para atualização em janeiro de 2014 para o Android 4.4 Kit Kat.

Moto-G-1
O Moto G terá um preço incrível nos Estados Unidos, serão US$ 179,00 a versão de 8 GB sem contrato com operadoras e US$ 199,00 a versão de 16 GB também desbloqueado. Aqui no Brasil o preço também é muito atrativo e podemos dizer que é um valor muito justo: as versões de 8 GB serão vendidas por R$ 649,00 (single SIM) e R$ 699,00 (dual SIM). Os modelos com 16 GB vem em versões especiais e com dois chips: o Moto G Colors Edition começa a ser vendido em 18 de novembro, tem quatro capinhas traseiras coloridas (amarelo limão, vermelho, branco e preto) e custará R$ 799,00; há também o Moto G Music Edition que custará R$ 999 a partir da primeira semana de dezembro, com fone de ouvido sem fio Tracks Air. A maioria das lojas ainda oferece o desconto de 10% para quem compra a vista no boleto.

O aparelho também poderá ser personalizado, porém de uma maneira diferente a que temos no Moto X. A capinha de trás poderá ser removida e trocada por capinhas de outras cores, serão 16 opções de cores diferentes, o consumidor tem a opção de comprar essas cases em um pacote com três ou individualmente. Elas são chamadas de Moto Shell e existem algumas delas que são cases de proteção, elas adicionam uma parte emborrachada em torno do aparelho, outras seguem o estilo "Smart Cover" que cobre a parte da tela do aparelho e quando você abre a tela acende. Mesmo com essa alteração vale lembrar que a bateria não é removível.

Primeiras impressões

Tivemos a oportunidade de testar o aparelho por alguns minutos e as primeiras impressões foram ótimas. O design dele lembra muito o do Moto X, traseira curvada com um bom encaixe nas mãos, a parte da frente quase que sem molduras faz a tela ocupar um bom espaço e ainda assim deixar o aparelho compacto.

A grande diferença dele é que os comandos inteligentes não estão por lá. Você não pode dizer "Ok, Google Now" ou esperar que a tela ligue sozinha quando você pegar o smartphone. Porém o Android continua puro e mesmo com um hardware mais básico ele não faz feio em velocidade. O aparelho consegue bater de frente com aparelhos topo de linha quando o assunto é desempenho. Traremos uma análise completa do dispositivo em breve, contando com mais detalhes a expriência com ele.

Uma certeza nós já temos: o preço do Moto G está sensacional para o que ele oferece. Durante a apresentação a Motorola comparou o seu aparelho diversas vezes com a concorrência, falou do Galaxy Fame e da sua experiência horrível para o usuário, falou do iPhone 4 que já está velho, com um hardware ultrapassado e ainda continua caro no mercado brasileiro e falou até do Galaxy S4, apontando as vantagens do Android puro e da velocidade que obtemos mesmo num aparelho mais básico. Se nós gostamos do Moto X e do Razr D3, o Moto G não deve decepcionar.