A Amazon disponibilizou recentemente, apenas no mercado americano, a sua mais nova investida contra o iPad: Kindle Fire. O dispositivo foi muito bem recebido pela crítica e imprensa especializada e, inclusive, chegou a ser apontado como o primeiro concorrente que oferece perigo real a supremacia do Tablet da Apple.

Além de custar menos da metade do preço de um iPad 2, o Kindle Fire conta com Hardware semelhante e indubitavelmente não faz feio diante do seu principal concorrente. No entanto, como a Amazon mesmo alegou na apresentação do produto, o foco do Kindle Fire é o de consumir – e não produzir – conteúdo. Ou seja, o novo Tablet da Amazon não conta com câmera, microfone e uma série de outros adicionais que podem fazer falta para determinados usuários.


Há certo tempo atrás cheguei a considerar a aquisição de um Kindle Fire, até mesmo pelo excelente custo benefício, mas devo dizer que o vídeo acima foi bastante desapontador.

O iPad 2 é consideravelmente mais rápido na inicialização, além de carregar páginas da web mais rapidamente, mas também deve-se levar em consideração que o Kindle Fire carrega o conteúdo em Flash dos sites – o que não é exatamente uma vantagem. Vale destacar também que a navegação é muito mais “suave” e fluida no iPad.

O Kindle Fire superou o iPad apenas no tempo de carregamento de um filme no Netflix, mesmo assim uma diferença de tempo bem insignificante e até mesmo irrelevante. Vale lembrar também que a Amazon não disponibiliza seu conteúdo no Brasil, ou seja, sua aquisição é meio inviável para os consumidores brasileiros.