Meu último post sobre a concorrência entre o Android e iOS e minhas opiniões sobre isso foi quando eu contei a minha experiência com iOS. E eu estava adorando. Já se passaram quatro meses e agora estou de volta ao Android. Pois é, elogiei muito o sistema da Apple mas acabei voltando para o mundo livre do Google.

Nas próximas linhas irei explicar um pouco mais sobre o que me fez voltar e as minhas primeiras impressões sobre o Nexus 4, que deverá ser lançado aqui no Brasil na próxima quarta-feira, num evento do Google. Inclusive, o review completo do aparelho sairá em breve, junto com o review do Motorola Razr D1 que recebi ontem para testes.

Por que voltei?

Comprei o Nexus 4 mais por necessidade do que por vontade. Precisava iniciar alguns trabalhos fazendo reviews de aplicativos para o sistema, logo necessitava de um Android, não seria outro senão o Nexus, como já expliquei aqui, a linha atualmente é a melhor disponível, onde ficamos fora de toda a bagunça, recebemos os updates rapidamente e temos mais recursos quando estamos falando sobre coisas voltadas a developers. Não sou um desenvolvedor, mas sou curioso para testar muita coisa que de vez em quando só tem pra linha Nexus, como a instalação da ROM do Ubuntu para smartphones, entre outras coisas.
linha-nexus

As primeiras impressões

Foi meu primeiro contato com o Android 4.2 Jelly Bean, e apesar de não ter mudado muita coisa no visual, o sistema teve grandes upgrades. Alguns truques interessantes na barra de notificações, deslize com um dedo e temos as notificações, deslize a barra com dois dedos e somos levados a um menu de opções rápidas, onde podemos ajustar o brilho da tela, ir para todas as configurações, ativar ou desativar o Wi-Fi, Bluetooth, rede de dados, modo avião e ainda verificar a porcentagem de bateria.
notificação-opções
A tela de bloqueio também está reformulada, agora no ponto central você desbloqueia a tela, num ícone discreto abaixo, onde ficariam os botões de opção do Android (Home, voltar e multitarefa) deslizamos para cima e somos levados ao Google Now. Deslize para o lado e somos levados direto ao app da câmera, deslizando pro outro lado podemos adicionar widgets e de mensagens, Gmail e muitos outros que podem ser baixados pela Play Store. Inclusive alterei a minha tela de bloqueio com o aplicativo DashClock e adicionei além do relógio as notificações de mensagens, e-mails, mentions no Twitter e muitas outras coisas.

E já que falei do Google Now, senti falta dele, de fato. O assistente é ótimo e funciona exatamente da maneira como o Google nos mostra. Pesquise um endereço no buscador e quase que automaticamente ao voltar ao Now verá informações sobre o trânsito e rotas para chegar ao local desejado, muitos outros cards são bem úteis, como por exemplo quando estamos perto de um ponto de ônibus e ele nos mostra as linhas que passarão por lá e em quantos minutos o ônibus chegará, entre várias outras informações que vocês já devem conhecer. Rumores recentes indicam que ele será levado ao iOS, o que será ótimo, mas tenho certeza que a companhia guardará alguns truques exclusivos pro seu sistema.

Performance e alguns recursos

Com o Nexus 4 e o Jelly Bean 4.2, praticamente tudo mudou quando falamos em performance e leveza do sistema. Dá gosto de mexer no Android, ele funciona muito bem. Também, com um processador quad-core de 1.5 GHz e 2 GB de memória RAM seria difícil de não ter um bom desempenho. Seria impossível sentir a mesma fluidez no Android há dois anos atrás.

Outra coisa que reclamei no iOS naquele artigo foi a falta da “conversação” entre aplicativos, o Android me fez lembrar do quanto ela é importante. Tirou uma foto e quer compartilhar? Dá pra fazer direto da galeria de imagens e você pode mandar para praticamente qualquer aplicativo que suporte imagens, desde ao Twitter até o Evernote.

A customização permitida no Android foi mais aproveitada nessa experiência. Tive um pouco de paciência e decidi alterar toda a minha homescreen, instalei o Holo Launcher, baixe o pacote de ícones MetroStation e o resultado foi esse aqui.
homescreen

Nexus 4

Falando um pouco mais sobre o aparelho, infelizmente acho ele grande demais. Claro que a tela de 4.8 polegadas é linda e acaba sendo um ponto positivo na hora de ler, ver vídeos, etc. Mas eu gosto de mexer no celular com uma mão só, o iPhone me permitia isso, é questão de costume. Faz falta, eu acho grande demais, mas não existe nenhum device Android com um tela de 4 polegadas ou menos que bata de frente com as especificações dos aparelhos gigantes. Em compensação, o design dele é quase que impecável, até agora um dos aparelhos mais belos que já vi, sua traseira então, nem se fala, muito elegante, os efeitos brilhantes no vidro dão um charme e tanto à ele.

Ah, e a câmera não é tão boa quanto a do iPhone. Mas a gente dá um jeito nisso. Isto é, em qualidade de imagens mesmo, dá para se virar. Porém em software, o app padrão da câmera do Android está de parabéns, tem um design bonito e várias opções.

Sinto falta

O iMessage faz falta, mas ainda bem que existe o Whatsapp. Além disso, o design dos aplicativos do iOS também me agradam mais, sinceramente. O Android ainda está evoluindo nesse quesito, a maioria dos apps estão se adaptando, o exemplo mais recente é o próprio Whatsapp que citei acima, faz algumas semanas que os desenvolvedores disponibilizaram a versão dele totalmente desenhada nos padrões Holo do Android, e ficou bem bacana. Até que todos os aplicativos sigam o novo padrão, o iOS ainda continuará, para mim, o sistema com os aplicativos mais bonitos.

Alguns aplicativos que me fazem falta também, principalmente o Band of The Day e o Tweetbot, o melhor cliente para Twitter que usei até hoje. Fica a recomendação para os usuários do Android, de todos os que testei, o que mais gostei foi o Falcon Pro, vale a pena comprá-lo.

Os dois sistemas

Ainda não vendi o meu iPhone e ainda estou pensando nessa possibilidade, manter dois celulares ao mesmo tempo é praticamente impossível, bem que o amigo Fhillipe avisou. Ainda continuo esperançoso sobre o iOS 7 e acredito que várias novidades bacanas virão, espero que a Apple abra um pouco o sistema para os aplicativos possam se integrar entre si, além de termos um tela inicial um pouco mais dinâmica.

O Android ainda continua com alguns defeitos, assim como iOS me passa a sensação de estar ficando para trás. Cada um com seus prós e contras e dessa vez não vou afirmar qual é o meu sistema favorito. Posso mudar de ideia daqui a três meses. :P

Recomendo a leitura desse artigo no Gizmodo US, apesar de estar em inglês (sei que muitos terão preguiça de ler), é um texto bem simples e interessante.